Minha foto
Paulista, Pernambuco, Brazil
As vezes sou poeta. As vezes sou poesia. Folhas ao vento que viajam em pensamento. As vezes sou um sorriso e um olhar. Sou perfume da essência a igualar. As vezes sou a gota d’água que faz toda uma diferença. As vezes sou menino, as vezes sou homem. As vezes sou livre! Quero ser eu de mim mesmo. As vezes nem existo!

10 de novembro de 2010

O perfume de uma história



Momentos raros são lançados na noite,
O tempo para e os instantes voam. 


É arriscado, secreto, pois para noite reserva-se escuridão,
O inesperado anseio de momentos jamais provados.

Percebe-se tensão, medo do que venha do inusitado,
Arriscam-se conversas e sussurros,
Declaro que te amo sem medo. 




Os abraços expressam carinho... A ausência de alguém,
A falta que se faz em ter alguém um carinho.
A carência flui como um perfume na pele,
Essência jamais inspirada por narinas
E tão anelada por tantos. 




Privilégio concedido por uma noite,
Só uma.
Arriscam-se cochilos recostado em meu peito e o tempo parou,
E não se percebe a noite foi tão longa.

Abraçar-te foi meu maior desejo,
Sentir em ti que sou um refúgio. 



O frio assola-me e em teus braços encontrei calor,
A paz que nunca encontrei em qualquer vã ser. 


Teu carinho me aqueceu, teu cuidado me sarou,
Sou feliz, pois o tenho juntado a mim.

Hoje o tempo para e a história se repete,
Para e lembra no tempo que parou. 


Eles não morreram o perfume ainda está em teu bolso,
A essência ainda flui bem viva em mim. 




Glebson Lima

3 comentários:

Daniel Savio disse...

Pode até ser o maior desejo agora um abraço, mas sempre queremos mais quando amamos...

Fique com Deus, menino Glebson de Lima.
Um abraço.

Pelos caminhos da vida. disse...

Um carinho, um abraço, um xamego, quem não quer não e mesmo amigo?

Fim de semana iluminado.

beijooo.

Anderson disse...

esse é meu AMIGO
meu orgulho!